1 ano de canal – como fazer sucesso no youtube

Completei hoje, (06/04/18) 1 ano de canal no youtube.



Comecei o canal Diletante Profissional em uma vibe meio: ah, vou fazer alguns vídeos, se não achar legal, se estiver me tomando muito tempo eu paro.

E de lá para cá já são quase 150 vídeos, uma média de quase 3 vídeos por semana, quase duas horas e meia de conteúdo disponível.

A ideia de fazer um canal surgiu porque eu senti que o site estava morrendo. Os acessos diminuam, eu não conseguia engajamento nas redes sociais e a tendência era virar um repositório de textos que ninguém lia.

Não que eu busque uma fama, uma sucesso de audiência, mas o ideal é que quando você escreve algo outra pessoa leia, ou várias outras pessoas.

Isso era uma coisa legal de escrever no Universo HQ, audiência nunca faltava para os textos.

Mas, mesmo querendo que outras pessoas leiam, minha vontade sempre foi falar o que eu queria de um jeito mais pessoal, menos técnico, até porque eu não sou jornalista. E falar do que eu quiser, no meu tempo. Sem me amarrar em regras de editorialismo, porque a linha editorial do Diletante Profissional sou eu.

Não sei se uma coisa exclui a outra, aparentemente sim já que a audiência do canal não é lá aquelas coisas, mas, no fim, o que eu precisava era só um equilíbrio melhor de relevância e de pessoalidade.

Quem assiste meus vídeos sabe que é um formato um pouco diferente do padrão do youtube que é a pessoa lá falando na frente da câmera. Essa sempre foi uma das minhas questões, eu quero passar uma mensagem, bater um papo e não ser reconhecido na padaria.

E isso foi de encontro justamente com outra necessidade, eu gosto de pintar, mas, muitas vezes, quem não trabalha com isso, quem é um diletante na pintura e no desenho, precisa de um incentivo a mais, precisa de um cabresto.

Então se eu quero fazer um vídeo eu tenho que pintar, ao mesmo tempo que às vezes eu quero pintar e só depois acho um vídeo para aquela pintura.

E com isso eu consegui regrar e intensificar minha prática, não virei um grande pintor, estou bem longe disso, mas já dá para ver uma evolução, já começo a poder tentar outras coisas, acerto mais uma pintura ou outra.

Até consegui “vender” vários desses estudos ao longo desse tempo. O vender está entre aspas porque um artista profissional certamente se ofenderia com meus preços módicos. O meu interesse, na verdade é mais que esses estudos saiam da minha gaveta e encontrem bons lares do que receber um valor quase simbólico.

A título de curiosidade, uma das minhas metas era não investir nem tempo demais e o mínimo de dinheiro possível. Filmo os vídeos com uma câmera simples (por isso a imagem é meio sofrível). Faço os áudios sem cortes, aí tem duas questões, eu não me interessei por aprender a editar o áudio e eu detesto profundamente os vídeos de muita gente que ficam com o áudio picotando a todo momento, então eu gravo, se erro sigo em frente e o erro vai para o ar, mas acho que manter essa naturalidade acaba valendo mais.

No meio desse processo acabei colocando os áudios dos vídeos como podcast e parece que tá rolando uns ouvintes.

Também recebi vários e-mails , comentários e mensagens de pessoas para quem um vídeo ou outro foi importante e, no fim, esse tipo de interação acaba valendo bem mais do um alto número de audiência.

Então é isso, obrigado para quem assiste os vídeos, ouve os áudios, obrigado para quem se inscreveu no canal, para quem deixa comentário, manda e-mail, segue no instagram, acessa o site.

Obrigado mesmo.

Ah, e como fazer sucesso no youtube? Não faço a mínima ideia, só acho que tudo pode fracassar, então vou fracassar fazendo as coisas do jeito que eu gosto.