After School of the Earth

Adoro ler mangá.

Acho que hoje em dia, de quadrinhos, os mangás são uma das coisas que mais me divertem.

E eu gosto de mangá bobinho mesmo, esses Shonen bem de moleque, cheios de insinuações sexuais que são quase inocentes de tão primárias.

É claro que há uma linha de corte. Como eu não leio muitos mangás (no momento mesmo a única série que eu estou acompanhando é After School) eu tenho uns critérios pra selecionar:

1- desenho
Tem gente que fala que do “estilo mangá” como se fosse tudo um padrão só. É claro que tem uma série de fórmulas características, uns elementos e soluções visuais típicas, mas não é só isso. Mesmo dentro de um padrão você têm o desenho bem executado e o mal executado. E, principalmente, você tem a questão da composição visual da página, o posicionamento dos personagens, os ângulos de visão.

Artistas bons como esse Akihito Yoshitomi sempre são algo muito agradável aos olhos e sempre se tem muito a aprender com o desenho e a narrativa deles.

2- minissérie

Hoje em dia eu só leio minissérie. Não tenho paciência nem vontade de comprar HQs que ainda estão sendo publicadas lá fora, que podem ser interrompidas quando a publicação no Brasil “alcançar” a japonesa e cuja as histórias são feitas pra se arrastar eternamente.

A vida é muito curta e as opções são muito variadas para acompanhar séries como Naruto, One Piece e outras que fazem alguns fãs delirar.

Pra mim as melhores opções são essas HQs que você já sabe quantos números terá.

3- história

Já falei no blog que não se deve exigir profundidade em mangás e que muitas vezes o leitor um pouco mais adulto acaba fazendo interpretações tão loucas da história que se frusta quando lê uma entrevista e vê que a intenção do autor era aquela que estava claramente no texto e não em um subtexto profundo e inexistente.

Mas não ter profundidade, ter piadas sobre sexo pré-adolescente, não quer dizer que o mangá não possa ter história.

Esse After School por exemplo é um grande exemplo disso. O autor partiu de uma premissa interessantíssima: criaturas misteriosas chamadas de “phantom” apareceram do nada e “engoliram” praticamente todas as pessoas da Terra, nesse cenário, um garoto e três meninas se conhecem e tentam sobreviver no planeta vazio.

Ele vem desenvolvendo com calma a história, mostra nos dois primeiros números a vida dos personagens, deixa uma ou outra pista sobre o que aconteceu, insinua, mais de uma vez, possíveis viagens no tempo (ou algo parecido). Com isso o leitor fica bem motivado a ler e descobrir o que aconteceu e o que acontecerá e se diverte muito com a vida desses personagens cheios de emoções conflitantes.

After school of the Earth está na bancas, é muito divertido e você for ler um mangá só nos próximos meses (como eu faço) acho que essa é uma ótima opção.

Compre os seis volumes aqui