Daredevil ou Demolidor da Netflix (sem spoilers)

Assim que a série do Demolidor foi liberada pela Netflix e eu assisti os 13 episódios da primeira temporada e só tenho a dizer que a série é tudo que eu esperava e muito mais, espetacular em um nível que eu não imaginava ser possível.
Acho muito difícil algum fã do Demolidor ter o que reclamar dessa que é uma das adaptações mais fiéis de um personagem de quadrinhos para uma mídia filmada.
Tudo funcionou ali, principalmente o formato de série, que deu mais tempo para desenvolver uma história decente ao mesmo tempo que contava a origem do personagem (no geral a maioria dos filmes morre nesse ponto, o tempo para origem tira o tempo da história e tudo tem que ser tão conectado e compacto que acaba ficando ruim).
Mesmo deixando de lado o fato de ser uma adaptação e tratando com uma série de ação – há de convir que há poucas séries nessa linha de ação pura, com muitas lutas – Daredevil é algo especial. As lutas são incríveis, todas muito bem coreografadas – até o treinamento do Matt criança com o Stick é assombroso – e em uma quantidade ideal tanto para não cansar pelo excesso ou pela falta de ação. A habilidade do Demolidor está na medida certa, ele não é invencível, longe disso, ele é um homem bem treinado, mas outros tão treinados quanto ele conseguem bater muito nele. Ele vence a maioria das lutas, óbvio, mas você tem a sensação de que cada luta é um sacrifício.
O elenco todo é muito bom, apesar de a maioria ser de atores de pouco conhecidos (salvo Vincent D´Onofrio). Os atores principais são Charlie Cox (Demolidor), Deborah Ann Woll (Karen Page), Elden Henson (Foggy Nelson), Rosario Dawson (Claire Temple), Vincent D’Onofrio (Rei do Crime), Vondie Curtis-Hall (Ben Urich) e Scott Glenn (Stick).
A escolha do círculo expandido de personagens também é muito bom. A ideia de ter Claire Temple fazendo a função de “enfermeira noturna” (personagem resgatado pelo Bendis no Demolidor que ajudava super-heróis) e ao mesmo tempo servindo de ligação para a futura série do Luke Cage – nos quadrinhos Claire auxiliava o médico que tornou Cage indestrutível e foi namorada do personagem por um tempo.
Ben Urich, o eterno jornalista sério e ético da Marvel, também está com uma participação ótima e até surpreendente.
O Stick, o personagem que treina o Matt, está com uma caracterização impecável.
E tem o Rei do Crime. Wilson Fisk de Vincent D´Onofrio é um capítulo a parte. Que personagem grandioso. Ele é um dos poucos que se distancia mais da sua contraparte nos quadrinhos. Ele começa agindo totalmente nas sombras, ele tem um certo TOC, mas a essência está lá. Inclusive deram uma importância enorme para Vanessa como presença forte na vida de Wilson. Até as cenas de luta com ele são bem impressionantes. Faltou só o movimento clássico dele que ele pega o herói pelo pé e joga na parede, mas isso fugiria totalmente da linha mais realista das lutas.
Olha, eu posso falar horas aqui do tanto que essa série é legal, mas nada vai substituir a experiência. Veja Demolidor, a série é um novo patamar para adaptação de supers.
PS.: Detalhe, em uma cena tem um referência a “batalha de Nova York” do filme dos Vingadores, ou seja, esse demolidor está, em teoria, inserido no mesmo universo dos filmes e de Agentes da S.H.I.E.L.D.

 

 

 

 

 

 

 

 


Inscreva-se na newsletter do site e receba todas as atualizações do site diretamente no seu e-mail.

anuncioamazon