Doutor Estranho (spoilers a parte)

Com magia, ação e uma fotografia incrível a Marvel acerta novamente a mão com Doutor Estranho, um personagem desconhecido do grande público.

 

Cada vez que a Marvel lança um filme surge uma comoção e uma urgência de vê-lo. No começo era algo mais restrito a fãs de quadrinhos, mas depois de 13 filmes consistentes o público já se acostumou a esperar novas aventuras com regularidade.

Uma das coisas que sempre me impressionou nessa leva de adaptações é o equilíbrio com que a fidelidade aos quadrinhos é tratada. Obviamente é impossível trazer o personagem e suas histórias para o cinema porque simplesmente são linguagens diferentes, com tempos diferentes. Mas a Marvel foi capaz de trazer a essência dos seus personagens e do seu universo para o cinema.

Na questão do universo tudo já ficou muito bem resolvido. Os filmes fazem referências entre si e sempre há uma participação de outros personagens, mesmo que seja nas cenas extras.

Na questão do personagem em si além de manterem a história base bem idêntica o diretor apostou no visual para impressionar os leitores.

A estética dos super-heróis nos quadrinhos tem vários pontos chaves marcantes como as cores (que a Marvel trabalha muito bem nos filmes), a anatomia exagerada (que é razoavelmente resolvida também) e a perspectiva distorcida.

Até o momento a questão da perspectiva era algo que se perdia um pouco quando se passava para o cinema. Por mais habilidoso que um diretor de fotografia fosse ele era limitado pelo tamanho fixo de tela e pela filmagem no mundo real. Distorcer demais a imagem em um momento causaria muita estranheza em outros que a perspectiva estivesse certinha.

Nesse ponto Doutor Estranho ofereceu uma liberdade absurda com as cenas onde as leis da física não valiam e a realidade se desdobrava da forma que os magos queriam. Eu sou meio avesso a filmes em 3D (todo mundo que usa óculos imagino que concorde comigo), mas esse é daqueles filmes que valem de fato ser vistos no 3D e, preferencialmente, no IMAX.

As cenas de ação são grandiosas, psicodélicas, impossíveis visualmente, dificilmente alguém vai pensar em algo que tenha tão cara de quadrinhos como as sequências desse filme.

Quem viu os trailers pode ficar tentado a dizer que as sequências são idênticas as de A Origem. De fato, ali deve ter surgido tanto o conceito quanto a expertise para o Doutor Estranho, mas, visualmente, o resultado está bem mais complexo e mais interessante. Diria que nesse aspecto Doutor Estranho está para A Origem assim como O Tigre e o Dragão está para Matrix.

Sobre a história em si, é um filme de origem. Então tem o maior problema dos filmes de origem: a necessidade de explicar muita coisa, estabelecer todas as regras de como funciona o universo daquele personagem.

Está cada vez mais simples para a Marvel contar a primeira história dos seus personagens, porque uma série de pressupostos já foram estabelecidos nos filmes anteriores. Contudo, Doutor Estranho abre o mundo da magia no universo Marvel e isso acaba exigindo mais parâmetros (sejamos justos, Thor já estava nesse campo e as joias do infinito também, mas não era algo tão explícito).

Além disso, mais uma vez é um filme de um cara inteligente, egocêntrico que tem que passar por um treinamento e aprendizado para ficar mais humilde e se tornar um “escolhido” que será melhor que todos os outros.

Pessoalmente isso já me cansou um tanto nos filmes em geral e entendo quem critique esse aspecto.

Não me agradou muito também o manto do Doutor Estranho agir como o tapete mágico do Aladin do desenho. Isso está lá basicamente para cumprir a função de alívio cômico, algo que faz parte da receita de sucesso da Marvel. Entendo que esse tipo de humor faça parte, mas, nesse caso, não me atraiu.

Mesmo assim acho Doutor Estranho um filme excelente, divertido, com um ritmo que funciona bem. Benedict Cumberbatch está excelente no papel e o elenco de apoio todo é muito bom, especialmente a Tilda Swinton que está fantástica como a Anciã.

Depois das fotos do filme vou colocar um spoilers de uma coisa que eu acho que vale a pena comentar.

Como sempre o filme tem duas cenas extras, então espere até o final.

doctor-strange doctor-strange2jpg doctor-strange3

SPOILERS

É bem interessante a forma como a Marvel está conectando tudo. Já na cena extra do filme deixa a dica que o Doutor Estranho estará em Thor Ragnarok, que, com isso, ganha uma possibilidade de ser um minivingadores como foi Guerra Civil, contando com Dr. Estranho e Hulk (que já foi anunciado).

Outra questão é o Olho de Agamoto ser um joia do infinito, o que trará o Thanos para buscar tanto essa joia quanto a que está com o Visão. Na minha cabeça a primeira parte de Vingadores três ainda vai terminar com o Thanos destruindo o Visão, pegando a última joia e completando a manopla, deixando os Vingadores completamente derrotados. Agora com a nova joia eu imagino que o filme comece com ele vencendo o Doutor Estanho que se unirá aos Vingadores e passarão o primeiro filme todo tentando impedir que o Thanos complete a manopla. (é claro que isso é pura especulação minha e só saberemos mesmo como será o filme daqui uns anos)