Fôrno

O Fôrno surgiu fazendo muito barulho nas redes sociais.



Dos mesmos donos do merecidamente sempre lotado Holy Burguer, o Fôrno é um restaurante que parece que saiu da caixinha de fórmulas hipster/moderninhas.

A arquitetura é sensacional.

Uma casa antiga, bem caída, em uma travessa esquecida com fundos para o minhocão, esconde, depois de uma escada tenebrosa um salão projetado milimetricamente para parecer rústico. Teto sem forro, cozinha de vidro, pratos de ágata e o “fôrno” a lenha a todo vapor.

Lembra um monte de lugar, Hopesdaria da Mooca, Cateto, o restaurante da Basilicata e uma lista sem fim.

Já virou quase uma fórmula, até um clichê arquitetônico esse tipo de restaurante, mas não dá para negar que o lugar fica bonito, charmoso e tudo mais.

Sobre a comida, fui no almoço e experimentei a carne cruda ($35), uma versão da casa de steak tartar. A carne é cortada em cubos maiores do que o tradicional, vem acompanhada de um belo pão de fermentação natural e é bem temperada. Não foi o melhor steak tartar da minha vida (eu gosto muito desse prato clássico, aliás), mas tem um tempero honesto.

Como principal pedi uma opção que tem no almoço que é uma “quase parmegiana” ($45), quase porque não tem a milanesa e o queijo e o molho são montados sobre um bife grosso.

Adoro bife grosso, adoro mesmo e o ponto estava perfeito, pena que a carne não era das mais macias e faltou um pouco de sal. O tempero é excelente, mas um toquezinho de sal ia fechar melhor tudo.

De sobremesa eles têm o pudim na latinha igual do Holy, como eles mesmo dizem no cardápio e um donuts.

Comi o donuts, que eu achei bem … bem ruim mesmo, na real. Massa simples, bem frita com um chantili sem gosto de nada preenchendo o buraco no centro, certamente não vale os $15 cobrados e é melhor ficar no pudim mesmo.

No geral, achei que o restaurante tem uma proposta boa, tem muita coisa interessante no cardápio que eu gostaria de voltar para experimentar, como os lanches, as pizzas e os embutidos.

MAS, para o almoço achei o preço, apesar de compatível com o que é servido, um pouco puxado. Na faixa dos 40/50, você têm várias opções excelentes de almoço executivo com entrada e sobremesa em um nível igual ou muito superior.

Esse é um preço mais de jantar, contudo, não dá para dizer que estão errados em cobrar isso. A casa estava cheia e provavelmente vai se manter cheia, então não tem porque segurar a mão no preço se a intenção é lucrar. Se a intenção fosse ser justo e honesto… aí era outra história

Conta: $100,00 para uma pessoa (agosto/2017)

Vale: sinceramente acho inviável colocar o Fôrno em qualquer rotina de almoço. Pode ser um lugar para ir, eventualmente para comer alguma coisa diferente e ver de tempos em tempos se está bom, mas, diferente do Holy (que obviamente tem outra proposta) não é o tipo de lugar para virar “freguês”. Não diria que não vale o que é cobrado, porque é muito difícil falar que não vale, mesmo quando o lugar carrega muito no preço, mas, nessa faixa de preço, eles concorrem com lugares infinitamente mais surpreendentes e mais interessantes, daí fica difícil colocá-lo na lista de lugares para voltar.