Friccò, o restaurante que não é osteria, nem trattoria e muito menos cantina

Sempre vi muita notícia sobre a produção de pães de fermentação natural do Friccò, umas delas, definitivamente a mais curiosa, é que eles possuem um “hotel” para levain, o fermento natural. Então, caso você viaje, provavelmente o único lugar que você poderia deixar o seu fermento sob cuidados atentos seria nesse restaurante/empório.



Aliás, o lugar incentiva muito a produção caseira de pães, tanto que na compra de 3 sacos de farinha italiana você ganha de brinde um levain para começar sua produção.

Enfim, fui conhecer esse lugar e de cara tive duas surpresas. Primeiro que a casa já avisa que aceita dinheiro ou débito e, caso queria pagar no crédito, terá um acréscimo de 5%. A segunda é que você entra por uma porta que dá em um empório italiano que tem uma placa escrito: “não somos cantina”.

Achei que estava no lugar errado, mas me explicaram que, segundo o chef, ali não era uma cantina, era um restaurante.

Para ajudar quem ficou curioso, achei esse texto do Eloi Zanetti, na Gazeta do Povo, que destrincha vários termos:

osteria é a forma mais simples de um estabelecimento que serve refeições – a mãe fica na cozinha, o pai no caixa e os filhos dão suporte atendendo o salão. Já a trattoria é uma osteria que melhorou de vida – nas trattorie existem empregados, um garçom, ajudante ou cozinheiro. E o ristorante conta com uma equipe profissional. (…) Já a cantina, outra designação que damos aos muitos estabelecimentos italianos, sejam eles verdadeiros ou não, nasceu no universo militar e significava um local albergado para refeições. Dos quartéis, o nome migrou para os hospitais, escolas, estações de trem ou rodoviárias. (…) As cantinas de antigamente eram rústicas e atendiam especialmente aos marinheiros. Tanto é que também se diz de outra forma, que são casas comerciais que se ocupam em vender coisas para os homens do mar, logo, uma casa de aviamento, porque “quem vai ao mar avia-se em terra.” Os ítalos do Sul do Brasil também chamam de cantina uma loja onde se vendem vinhos.

Mas vamos ao que importa.

A casa é daquelas que se destaca por produzir muitas coisas no local, além do pão e do macarrão, a especialidade deles são embutidos. Como fiquei curioso, pedi a entrada que é uma degustação dos embutidos acompanhando de pão ($44). Achei o pão um pouco mais ácido que de costume, mesmo para os pães de fermentação natural e mesmo para os italianos, mas a textura é perfeita. Os embutidos de fato são o ponto alto da casa, todos maravilhosos, melhor mortadela que eu comi na vida, sem dúvida.

Já nas massas tem uma uma opção de prato do dia ($49 com salada/massa/sorvete da casa) ou várias outras opções no cardápio.

Tentamos as do cardápio, eu fui com um macarrão parafuso no creme de espinafre acompanhado do friccò de frango, que dá nome a casa. Estava bom, a massa talvez precisasse 10 segundos a mais de cozimento, seria interessante se tivessem oferecido queijo ralado (mas parece que casa não oferece para ninguém, talvez queijo seja coisa de cantina?) e o frango, apesar de ótimo no cozimento, tinha uma nota fora do tom na acidez.

No prato da minha esposa, um penne com abobrinha, lula e camarões. Ali a lula poderia estar um pouco mais macia e alguns camarões não foram limpos (falta grave), mas no geral o prato era bem feito.

De sobremesa dividimos um prato chamado de nero, um bolo sequinho laminado com um caldo de zabaione e uma bola de sorvete de amêndoas. Diferente, mas nada demais.

Conta: $176,00 (duas pessoas, sem bebidas, dividindo entrada e sobremesa, pagos no débito para não ter o acréscimo do 5%) (julho/17)

Vale? Olha, o executivo até que vale, o prato de embutidos vale para conhecer, mas, de modo geral eu não voltaria no Friccò. Vamos lá, tem o bom e tem o excelente. O Friccò é um restaurante bom que quer cobrar preço de excelente, se contar a frescura de repassar a parte o uso do cartão de crédito, quer cobrar um preço maior do que muito lugar mais impressionante. Sinceramente o Friccò não me impressionou e por esse valor de conta eu consigo imaginar uma fila de restaurantes bem interessantes para visitar antes de voltar no Friccò.

Endereço e demais informações aqui no site deles http://www.fricco.com.br