#Inktober – O que é? Como Funciona? Pra que serve?

Compre material de arte aqui https://amzn.to/319Uws6 Compre livros aqui https://amzn.to/2DdjmNk O ilustrador Jake Parker (compre os livros dele aqui http://amzn.to/2yfpJOEem) 2009 criou um autodesafio que ele propôs para quem acompanhava o trabalho dele, a ideia era durante o mês de outubro fazer 31 desenhos com tinta, um por dia e postar online. De lá para cá, isso se tornou um verdadeiro evento anual e vários artistas profissionais e amadores entram nessa onda e produzem trabalhos incríveis que podem ser rastreados pelas redes sociais com a hashtag #inktober (em inglês ink é tinta e october é outubro, vem daí inktober). Aliás é cada vez mais frequente ver uma publicação impressa  em forma de artbook pelo artista do material que ele produziu nesse mês. E como funciona? Segundo Jake Parker as “regras oficiais” são:
  1. Faça um desenho com tinta
  2. Poste online
  3. Use a hashtag #inktober e #inktober2017
  4. Repita isso todos os dias de outubro
Ele ainda solta anualmente uma lista de temas diários, você pode ver no site dele que eu linkei ali em cima mas eu acho que aí já é um ponto desnecessário, é algo que está mais para uma sugestão para quem está sem ideias do que fazer. Sobre regras, eu acho que o importante é limitar o mínimo possível. O intuito é fazer algo não digital, todos os dias, por trinta e um dias e postar. Não precisa se prender em que técnica usar, tema, tamanho, suporte. Eu, esse ano, por exemplo, eu escolhi fazer uns formatos grandes, com gouache só de releitura de imagens que eu escolhi de artistas com um foco na expressividade. Como eu estudo muito técnica e trabalho sempre pequeno, comecei a sentir falta buscar algo meu, uma forma de se expressar com a pintura, então vou fazer algo solto, descompromissado, meio pela descoberta, para depois incluir nos outros estudos que eu faço. Outra coisa, normalmente o Ink do inktober é associado ao nanquim e às várias canetas nanquim. Já vi gente que posta lista de materiais para usar, indica canetas, pincéis e tinta. Na boa, é muito legal ver esses vídeos para conhecer os materiais que outras pessoas usam, mas não acho que isso deva prender ninguém. Quem desenha já tem seu material, se você está se propondo a fazer o inktober, o importante é fazer. Se você vai aproveitar para testar outros materiais, se vai fazer tudo com caneta esferográfica, não importa, não se prenda à isso. Agora, porque fazer? Eu vejo que muitos artistas são diletantes, como eu. São pessoas que têm outras profissões que não tem nada a ver com desenho, mas gostam. Para essas pessoas o inktober pode ser algo que muda a vida em muitos sentidos. Porque a pessoa se força a fazer aquilo todos os dias e passa a colocar o desenho na rotina dela. Serve também como teste isso, para ver se você gosta mesmo de desenhar. A gente sempre tem mil desculpas para não fazer as coisas, a principal é o tempo. Se você se organiza para produzir um negócio e elimina o fator do tempo, a principal questão que resta é a vontade em si, que é um fator chave. Fazendo isso, você que é amador, pode descobrir se está extraindo algum prazer da atividade. Se estiver, vale muito a pena continuar com isso na sua rotina e você vai querer fazer isso. Se não, talvez seja o caso de repensar, não tem nada errado em achar bonita a arte e não fazer nada, muito pelo contrário, a arte não é só para artistas. Para os profissionais, talvez não faça tanto sentido o inktober, porque o cara já desenha todos os dias e tudo mais. Mas, ainda assim, pode ser uma forma de mostrar um tipo diferente de desenho do que você faz normalmente, pode ser uma forma de juntar um material para um artbook e por aí vai. Outro ponto para profissionais é que hoje em dia, muita gente fica só no desenho digital e um desafio desses pode ajudar à um retorno para o desenho físico que sempre pode contribuir no resultado do digital. Acho que o mais importante de tudo é: não faça porque é uma modinha, faça porque você gosta. Você pode se desafiar a qualquer momento, pode tentar criar novas rotinas a qualquer momento, a diferença do inktober é basicamente uma sensação de pertencimento, de fazer parte de uma comunidade e isso pode ajudar muito na criação de um novo hábito. Mas, de novo, avalie bem, principalmente se você é amador, antes de dar desculpinhas de “ah, não tenho tempo”, “ah queria muito mas não posso”, lembre-se ninguém está obrigando você a nada e, se for uma coisa que você gosta de verdade, você vai querer de verdade fazer um esforço para ter tempo que nem precisa ser muito, meia hora, em qualquer lugar, até na hora do almoço, dá para fazer um desenho. Não tem que ser bom, tem que ser algo que dá prazer para você. E, o mais importante, é poder avaliar sua evolução com 31 dias de desenho. Isso é algo fantástico para você ver onde está acertando, onde está errado.

Quem quiser acompanhar o meu Inktober é só me seguir no instagram @oliboni_ 

Versão em vídeo