Mangiare Gastronomia

Ir no Mangiare é praticamente uma aventura para quem está acostumado a orbitar as regiões mais centrais de São Paulo. Escondido nas profundezas da zona oeste de São Paulo, pertinho do Ceagesp, talvez o mais marcante no restaurante seja uma permanente sensação de déjà vu.



O restaurante pertence a Benny Goldenberg, sócio de Paola Carosella no Arturito e no La Guapa, e é comandado atualmente pelo chef  Pablo Inca, que trabalhou no Arturito.

O curioso é que a sensação de “já vi isso” permeia todo o restaurante. Apesar da arquitetura externa ser bem única e peculiar, o interior do restaurante, com o seu jardim estreito lateral lembra a atmosfera do Arturito. Em uma das lousas da decoração fala-se do tiramissu da casa que é servido até o cliente dizer que é o suficiente (exatamente como é feito com o maravilhoso mousse de chocolate do Entrecôte du Olivier).

Quando se passa para o cardápio daí a referência chega ao seu ápice, uma das opções de entrada é a Salada La Guapa, uma salada maravilhosa de folhas verdes e castanhas tostadas que é servida nas lojas de empanadas La Guapa. Tudo bem, essa é uma das minhas saladas preferidas e, inclusive, optei por ela como entrada no almoço executivo, contudo, poderiam ter criado algo diferente para o restaurante, no mínimo uma releitura seria mais interessante.

Comi um prato que vinha com meio galeto feito no forno a lenha, escoltado por lentilhas e minha esposa foi com o cappelini ao molho de polvo e tomates. Ambos os pratos são excelentes, o galetinho feito no forno a lenha fica com uma crocância peculiar e o cappelini também era ótimo, só podia ter uma proporção melhor de massa x molho, pois o prato tinha uma quantidade enorme de molho para o cappelini.

Outro ponto alto é o couvert com o pão feito na casa. O pão é simplesmente perfeito, não recuse o couvert porque vale muito a pena.

Pra mim o ponto fora da curva foi a sobremesa. A opção do dia no executivo era o sorvete de doce de leite. O sorvete em si é muito bom, bem saboroso, extremamente cremoso, mas peca, de cara, na apresentação (vem em um potinho plástico descartável como se tivesse sido comprado na venda do outro lado da rua) e na falta de alguma coisa para acompanhá-lo. O sorvete é tão bom que se fosse servido bonitinho, em um louça, com algo crocante ou uma calda mais ácida, seria uma ótima lembrança final.

O restaurante conta com uma brigada grande de garçons, mas eu acho que falta um pouco de transparência com o cliente. Não que esse seja um problema exclusivo do Mangiare, muito pelo contrário, acho que a maioria dos restaurantes usa essa tática de te apressar logo que chega.

Antes de oferecer o cardápio alguém vem prontamente trazer o couvert e cobrar a escolha da bebida. Uma vez que o couvert é opcional, a atitude mais cortês seria dar o cardápio para o cliente poder avaliar se, pelo preço, o couvert interessa. O preço do couvert no Mangiare é extremamente justo, $4 por pessoa no almoço executivo por um pão que é certamente uma das melhores lembranças que vou guardar da casa, mas já vi restaurantes que cobram de $12 – 18 por pessoa, o que torna o couvert inviável.

O mesmo vale para a bebida, como você vai saber o que tem de interessante e qual a faixa de preço das bebidas da casa se não tem o cardápio na mão? Se o restaurante está tão ávido para molhar a garganta do cliente, que ofereça uma jarra de água cortesia (fica a dica para o Mangiare, copiar essa gentileza que alguns ótimos restaurantes praticam).

Aliás, seguindo essa linha de falta de comunicação, a casa cobra 12% de taxa de serviço, mas não avisa que cobra acima dos 10% praticado normalmente.

Conta: R$ 132,16 para duas pessoas, no almoço executivo ($4 do couvert e pratos com entrada e sobremesa na faixa dos $40/60) (junho/2017)

Vale: Olha, se você mora ou trabalha na Zona Oeste, vale, agora, com certeza não me deslocaria frequentemente até lá. O restaurante faz tudo direitinho, a comida é boa, mas não estupenda (salvo o pão que é algo único), cobra preços no teto da média dos restaurantes bons, ou seja, nem possui um encanto próprio que justifique a viagem, nem um custo benefício que compense.

Horários, endereço e informações aqui http://www.mangiaregastronomia.com.br