Meu Udon + Kazu Cake

Por Renata Emiko


A primeira vez que fui ao Meu Udon, achei um pouco “diferente” pois estava acostumada a subir ali naquela escadinha escondida para comer docinhos maravilhosos do Espaço Kazu, mas, num desses dias eu percebi que num espaço que nunca foi muito bem aproveitado ao lado dos docinhos, eles abriram mais um “braço” dos empreendimentos Kazu (Izakaya, Sake Emporium, Kazu Cake, Meu Udon). E foi maravilhoso. Considero o melhor udon que já comi. E também levo em consideração várias outras coisas, como o atendimento e o espaço. Não gosto de “lugares da moda” (quase sempre lotados de pessoas que não sabem o que fazem ali) e de atendimento “meia boca”. O lugar é simples e não é grande (32 lugares), o atendimento é simpático e bem informado, ou seja, pode perguntar o que tiver dúvida que a pessoa vai esclarecer e sem mau humor (diferente de inúmeros restaurantes orientais que o atendente mal sabe falar português).

Funciona basicamente assim, você escolhe o caldo (leve, mais encorpado ou sem caldo), pode ser quente ou frio e ambos podem vir com os mesmos acompanhamentos (soja, carne, ovo pochê, quiabo…), por valores em torno de 25 reais. E se quiser, pode acrescentar outros tantos acompanhamentos que não vem junto com o prato (lula, abóbora, tempurá, etc) por aprox. 5 reais a porção.

O diferencial é o modo que o chef Yoshio Mizumoto encontrou para conseguir reproduzir o mesmo macarrão que ele adorava comer no Japão (onde ele morou por 19 anos), ele não encontrou aqui no Brasil nenhuma farinha igual a do Japão, então ele decidiu fazer sua massa artesanal com uma mistura secreta de várias marcas nacionais até conseguir um ótimo resultado, com pratos simples, não gordurosos e muito saborosos, na medida certa. Muito espertinho o senhor Yoshio não? Aliás, ele está sempre lá preparando seu udon e, em todas as vezes que fui, o que vi foi um moço simpático que parece amar o que faz, cumprimenta quando você chega e agradece quando você vai. Um gesto bonito e educado.

Se estiver sozinho, dá pra comer super tranquilo no balcão que fica de frente para a rua, e ali, entre outras coisas, você pode observar as filas enormes em frente os restaurantes mais badalados da Liberdade (Porque Sim e Lamen Kazu).

Saindo de lá, é só continuar ali no mesmo piso em frente e pedir um docinho no anexo Kazu Cake, não indico nenhum bolo (lindos mas gordurosos porque tem mais recheio que massa) e sugiro o Annin Tofu (gelatina de amêndoas com calda de laranja).

Conta: R$25 (maio/17)

Vale? Sim, é um prato bem diferente, feito com muito cuidado em um restaurante sem frescura.

 

Mais informações aqui https://www.facebook.com/pg/meuudon/about/?ref=page_internal