Na vida real

Depois de ler Jogador nº 1 eu queria mais alguma coisa parecida então me lembrei dessa HQ escrita pelo Cory Doctorow que tinha saído pela Jupati.

Pensei nela por dois motivos: Doctorow é citado no livro e a HQ tem uma relação parecida da discussão mundo real/mundo virtual.

Cory Doctorow é um teórico e ativista desse presente maluco que a gente vive onde a informação é de fácil acesso, onde os direitos autorais são “flexíveis”, onde o virtual influencia a economia real e os paradigmas mercantis internacionais de anos atrás já estão tão velhos e obsoletos que os legisladores não dão conta de acompanhar essa nossas novas necessidades e tendências.

Essa HQ que ele escreveu é uma demonstração em forma de ficção de parte da sua teoria. Uma garota isolada que encontra em um jogo não só sua autoestima como também uma nova forma de influenciar pessoas que pode, inclusive, gerar conflitos de grandes proporções no mundo real.

Tudo está nessa HQ delicada e inteligente. O choque de gerações, o feminismo, a meritocracia, a influência do dinheiro no mundo virtual, a diferença cultural entre diversos países.

Todos esses conceitos são trabalhados de forma sutil em uma história muito envolvente que tem uma cadência narrativa perfeita.

Completando a história temos a brilhante artista Jen Wang (que já foi publicada no Brasil no álbum Koko be Good que infelizmente está esgotada, mas vale muito a pena). Wang tem um traço sintético, sem excessos e extremamente dinâmico. Suas linhas alongadas e curvas criam um belíssimo visual para todos os personagens que é completado por precisas marcações de cor feitas poucas manchas bem posicionadas.

Essa é daquelas histórias que não deixa espaço para crítica. Tudo está no lugar certo, tudo é bem construído e tudo faz parte de uma grande reflexão muito necessária.

Leia Na Vida Real, você não vai se arrepender.

navidareal