Papéis para aquarela – características gerais, marcas e preços

Compre material de arte aqui https://amzn.to/319Uws6 Compre livros aqui https://amzn.to/2DdjmNk Depois de testar os principais papéis para aquarela que tem no Brasil gostaria de tecer alguns comentários. Acho que a primeira pergunta que surge quando a pessoa começa a estudar aquarela é qual a importância do papel e porque vários blocos de papel que são vendidos dizendo que são para aquarela na verdade não servem para pintura. Para responder isso é importante ver é o tipo de uso que cada um faz da aquarela. Quando a pessoa vai trabalhar a aquarela com um foco maior na ilustração, no preenchimento de espaços como cores prontas, trabalhando com relativamente pouca água, qualquer papel com uma gramatura superior ao padrão já dá conta. Ou seja, quando você não está pensando em usar muito aqueles efeitos de transição, fusão e não está preocupado com a formação de manchas para compor a pintura e sim com a combinação de formas, você não precisa de um papel tão bom. Agora, quando você está pensando em termos de pintura em si, um papel mais caro é vital Tem três pontos que definem a qualidade do papel:
  • a composição dele (o ideal para pintura é 100% algodão, sem celulose);
  • a gramatura (para aquarela 300 g/m2 é o ideal, mas dá para trabalhar com um pouco menos, para ter uma noção o papel sulfite tradicional tem 75 g/m2);
  • a prensagem
Cada item desses elimina uma série de papéis e encarece o preço final. Vamos ponto a ponto. A composição e a gramatura do papel é muito importante porque ele tem que resistir à água que você joga nele. Um papel fino rasga com a água ou enruga demais. Mesmo os melhores papéis cedem estruturalmente com a água, por isso que é importante prender o papel com a fita adesiva na área de trabalho. Quando você umedece ele o papel tende a expandir e, quando ele seca, volta para o tamanho original. Se estiver preso com a fita, conforme for secando, o papel vai voltar para o tamanho inicial da forma correta, ele vai inevitavelmente ficar um pouco encurvado, mas a fita impede que ele enrugue e quanto melhor o papel menor essa curvatura. A questão da celulose é simples, qualquer papel normal que você pega esfarela sob a água. A fibra simplesmente não resiste. Se você usa um papel com celulose, conforme você trabalha a celulose vai se desmanchar e formar várias bolinhas que vão atrapalhar no processo. Por isso, sempre que vai se trabalhar com muita água o papel tem que ter 100% de algodão. A prensagem é algo mais complicado. Você vai lá, pega o papel 300g, 100% algodão como já foi dito, paga caro por ele, chega para fazer sua aquarela com toda a confiança de que vai dar certo e a água não mancha corretamente o papel. Isso é algo meio difícil de explicar, mas se você ver esse vídeo aqui onde estou fazendo uma releitura do Barks fica muito nítido. O papel tem todas as especificações, mas a prensagem dele impede que o papel absorva corretamente a água e, se ele não absorve corretamente o pigmento não tinge o papel onde você quer, a água empoça e tudo aquilo que você queria que eram as fusões das cores e manchas não se forma. Ou seja, o papel aguenta a água, mas não faz as manchas corretamente. Nesse caso, você acaba tendo que trabalhar mais a seco e se esse era o objetivo, você nem precisaria ter pego um papel tão caro. O mesmo vale para a pintura com gouche, quanto melhor o papel, melhor você vai poder trabalhar ele diluído de forma análoga à uma aquarela, MAS, se você vai trabalhar mais o gouche denso, com pouco diluição só no começo para construir a base, um papel comum aguenta, aí entra uma questão da habilidade, um artista mais experiente é capaz de trabalhar com a velocidade e com a precisão que um papel de menor qualidade exige, um artista mais inexperiente precisa de um papel que o ajude mais, que lhe permita errar e corrigir. Então vamos para as marcas que eu já testei: Papel Para Aquarela Canson A4 300g/m² – esse bloco de 12 folhas A4 é 100% de celulose, ou seja, ele não vai aceitar bem muita água e não vai fazer boas manchas, mas se é para ilustração sem muita água, ele dá conta e custa $21,30 Bloco de Papel Para Aquarela Montval Canson A3 300g/m² – com 12 folhas A3, por $83 esse papel está entre os piores custos benefícios. Ele exatamente os mesmos problemas do anterior e é mais caro por uma questão de textura. Ele só é recomendável para quem quer um efeito muito específico de pincel seco sem uso de muita água. Bloco de Papel Para Aquarela Moulin du Roy 24x32cm – com 12 folhas em uma medida um pouco maior que o A4, essa linha já é 100% algodão, por isso o preço vai para $118,20. Contudo, esse papel perde na questão da prensagem, um dos lado é colado na massa então as folhas têm texturas diferentes em cada lado (um é sempre liso) e esse lado liso não absorve água bem. Na real, nem o outro lado absorve. É possível trabalhar nele com muita água, mas é bem difícil, porque a água empoça. Bloco de Papel Para Aquarela Heritage Canson TT 300g/m² 26x36cm 20 Folhas – Aqui já começa o fenômeno dos preços do papel, esse bloco custa $381,95. O papel é feito em forma redonda, o que deixa a fibra disposta de uma forma mais aleatória. Sinceramente, esse papel é supostamente melhor que o Moulin, mas eu não senti tanta diferença, sofri muito para trabalhar com ele. Bloco de Papel Para Aquarela Arches Canson TF 300g/m² 36x51cm – são 20 folhas por incríveis $814,80. Finalmente chegamos nos papéis que são bons para pintura de fato. O preço é obsceno, eu sei, mas para uma técnica de pintura, essa linha de papel é necessária. Tem uma vantagem, o papel pode ser usado dos dois lado sem nenhum problema. Outra opção é comprar o papel em folha avulsa de 56×76 cm por $56,40. Para comparar, se você cortar as folhas no meio, precisaria de 10 folhas para montar o bloco, ou seja, a mesma quantidade de papel ficaria por $564, uma boa redução e as folhas ficariam um pouco maior. Dá para comprar em rolo se você for pintar muito ou usar para um curso, por exemplo. Nessa faixa de preço é possível compra em folhas ou blocos o Fabriano e o Saunders, essas e a Arches são 3 marcas disponíveis que são as ideais para trabalhar com aquarela, todas as demais, com a composição correta tem uma performance inferior. Existem outras marcas boas pelo mundo, mas que não são importadas para o brasil. Dentro desses papéis ainda há a opção grana fina (rugosidade média), grana grossa (rugosidade grande) e satinado (liso), isso é uma questão basicamente de gosto de expectativa de resultado e efeitos, na dúvida, vai de grana fina, mas é importante experimentar as três texturas para ver o que agrada mais. De novo, isso não é um comercial das 3 marcas que eu citei, é uma mera análise baseada na minha experiência. É óbvio que um artista experiente se vira bem com qualquer papel, porque ele tem uma habilidade maior para dosar a quantidade de água e trabalha com uma precisão maior, mas, mesmo esses artistas preferem os papéis melhores. Também existem artistas que se acostumam com esse ou aquele papel e seus resultados se moldam a eles, ele sabe o que pode fazer com o papel e usa isso ao favor dele. Como artista bem amador, ainda tateando nos estudos eu acho que pra quem está começando a aprender a pintura o papel bom é muito essencial, porque você já tem sua inexperiência atrapalhando, não pode somar a isso um material que não ajuda, pois causaria muita frustração. Os preços acima são de uma das lojas de materiais profissionais de são paulo, com venda online, cotados em 25/08/17) Veja esse vídeo da fabricação do papel Fabriano para ter uma ideia de porque ele é tão caro

E os vídeos desse post mostrando os papéis