Stranger Things

A nova sensação promovida pela Netflix é a série Stranger Things.

A série é uma grande homenagem aos filmes dos anos 80 e um presente para os saudosistas desses filmes reprisados infinitamente nas tardes da TV aberta.

Eu sempre me acho um pouco estranho por não ser tão apegado a essas histórias que fizeram parte da minha infância como vários amigos de idade semelhante. Não que eu não goste dos filmes ou da época, só não sou partidário desse culto pela infância “onde as coisas eram boas de verdade”.

Dito isso, achei Stranger Things sensacional dentro da proposta da série.

A impressão que dá é que a Netflix abriu uma gaveta empoeirada e cheia de teias de aranha e achou essa série esquecida lá, porque é produção é mais que uma simples homenagem, que um infinito de referências e tudo mais, a série é, em todos os detalhes idêntica à uma produção de trinta anos atrás.

A fotografia é granulada, a arte de divulgação (essa sensacional aí embaixo) tem as mesmas cores e estética da época, os efeitos especiais com limitações e a história em si, um grupo de três crianças (com a estrutura combinando coragem/inteligência/afeto) em um mistério que ninguém acredita, um núcleo adolescente envolvendo os populares e um esquisito, uma garota que surge do nada com poderes, a empresa/setor secreto do governo com o experimento que sai do controle, além do monstro que surge do nada e some com as pessoas em cenas de terror.

O seriado é certinho do começo ao fim. É enxuto, fiel a proposta, prende o espectador e, o mais importante, é divertido.

Até nas “tosquices” o seriado é bom, um exemplo é o final da série que remete diretamente a um final meio que padrão de todos os filmes da época.

Vale muito a pena ver a série, principalmente se você for saudosista, pois será uma oportunidade rara de ver uma história inédita dos anos 80.

stranger-things


Só pra constar a Netflix é campeã em divulgar bem suas séries se preocupando inclusive em trabalha-las localmente, como, por exemplo, nesse vídeo feito com a Xuxa para o Brasil: quem consegue listar tudo que aparece no vídeo?