THE NATURAL WAY TO DRAW – exercício 6 – Peso

Compre seus materiais de desenho e arte aqui https://amzn.to/31M0tvC


Esse é o sexto exercício da série de exercícios do livro do Kimon Nicolaides.

No primeiro post eu falei sobre quem é Nicolaides e qual a linha de pensamento do livro. Se você não viu esse post ele o ponto de partida. Veja aqui.

Veja os cronogramas de exercícios aqui.

Você pode ver todas as postagens sobre o livro aqui nessa tag.


Objetivo: encontrar os pontos de “peso” da figura, os blocos de massa que tem mais impacto na formação da tensão do gesto

Materiais: giz de cera, pastel ou carvão e papel barato (sempre 1 desenho por folha e vai ser feito centenas de desenho, então use o papel mais barato que achar, frente e verso). Não usar borracha até o exercício 28

Observações: nesse bloco do livro o autor entra em uma questão do que ele chama de peso da imagem. Tem toda uma contextualização diferenciando o peso e forma, porque para ele tem uma importância como o objeto impacta o espaço, por exemplo um cubo de metal maciço pesa muito mais que do uma caixa de papel do mesmo tamanho. A questão do peso é um pouco difícil de entender, mas é possível pensar em termos de centro gravitacional. Em torno do que a figura está se sustentando? Também é importante pensar que além de um centro de gravidade principal, os diversos elementos têm centros de gravidade menores.

Exercício: pegue uma referência, talvez seja mais fácil começar com o corpo humano, principalmente um com uma torção ou uma pose mais dinâmica. Defina o centro de gravidade e, a partir dele, vá desenhando a figura até o limite do contorno, é para ir e voltar várias vezes, sempre passando pelo centro e indo em todas as direções que esse centro irradia até a borda do contorno. O lugar de maior peso obviamente ficará mais escuro. Como eu disse, é importante lembrar que os demais elementos do corpo tem centros de gravidade menores mas que funcionam com o mesmo princípio. Talvez vendo o vídeo fique mais claro o exercício e com o tempo o propósito dele parece surgir.